terça-feira, 15 de julho de 2008

O MAR DA SOLIDÃO

Eu estava sentado
numa onda no mar
entre ondas da noite
tempestade e luar.
Eu sentia os açoites
a brisa e o orvalho
olhava nuvens que passeavam
esquisitas
Sentia ofegante frio
não tinha agasalho
Saltava de onda em onda
fazendo voltas redondas
em formas de anéis
As águas me trazia
Para as margens do dia
O sol nascia sorridente
aquecendo o meu corpo carente
O mar parado agitava-se pelas ventanias
jogando meu corpo frágil
sobre uma camada de areia fria.

Josias Faustino

Nenhum comentário: