terça-feira, 15 de julho de 2008

ANDARILHO

Que sonho incauto
Sonho acordado
No rumo plumo
Desventurado
São horas vagas
De verso e rima
Semblante adentro
Que vem de cima
Num escuso espaço
Sem luz, sem brilho
Árduo regaço
Sou andarilho.

Josias Faustino

Nenhum comentário: