terça-feira, 15 de julho de 2008

AFLIÇÃO E DESEJO

Eu queria te ver e não podia
E, na ânsia de te olhar
Desvanecia – desviando o olhar
Nada encontrava, nada via.

E na ressonância dos meus dias
Sonâmbulo ficava a imaginar
Se ela ressurgir silente e fria
Morrerei de aflição sem reclamar

Eu não quero viver triste e sozinho
Obsidiado pela angústia do meu peito
Sem momentos de volúpia, sem carinho
Não me exiles do vale do teu leito.

Josias Faustino

Nenhum comentário: